Desmistificando Servlets


java_logoMuitos programadores JAVA e também de outras linguagens como PHP, costumam fugir da programação para WEB usando Servlets, achando que é muito complicado aprender sobre os seus conceitos, mas na verdade Servlets não é nenhum bicho de sete cabeças. A idéia deste artigo é facilitar a compreensão dessa tecnologia e auxiliar a quem deseja iniciar a utilização dessa ferramenta com total segurança e sem receios.

O nome Servlets faz alusão à: pequeno servidor ou “servidorzinho” que recebe chamadas HTTP e devolve respostas HTML para o cliente. Simples assim!

Para rodar Servlets, basta ter configurado um servidor WEB como Apache Tomcat, Glashfish, etc. No Tomcat as instruções são executadas e processadas num Container chamado Catalina e só então são retornadas para o cliente solicitante. Para melhor compreensão, vamos partir do princípio que o Tomcat é o Servidor Web que traz todo o ambiente necessário para receber solicitações e chamadas HTTP e contém um lugar específico, o Container de Servlets, que faz os processamentos dos códigos contidos dentro do Servlet. Vamos analisar a figura a seguir para entender melhor:

Servlets

A partir dessa estrutura funcionando, os Servlets irão evocar as classes que farão o processamento dos dados, como uma consulta a um banco de Dados utilizando JDBC, cálculos matemáticos gerados a partir da interação do usuário, como no cálculo do total a pagar no caso de uso de um carrinho de compra de um comércio eletrônico e N casos de uso de um sistema WEB.

Em outras palavras, Servlets nada mais são que um mecanismo de execução das classes que compõem a regra de negócio, o modelo de acesso a dados e a visualização das páginas resultantes, ou seja, você desenvolve toda uma aplicação com classes específicas e o Servlet faz as chamadas e executa essas classes que compõem o sistema.

Para quem já programa em JAVA para Desktop, o Servlet tem a mesma função da classe que recebe o: public static void main que executa todas as classes do sistema.

Então é isso pessoal, espero ter conseguido dar uma luz e ajudado à facilitar a compreensão do significado do uso de Servlets. Na continuação deste artigo, desenvolveremos um pequeno projeto de uma biblioteca, onde o usuário pode se cadastrar no sistema e gerenciar os livros que foram emprestados, aplicando toda a parte de criação das classes e os CRUDs necessários para incluir, alterar, deletar e listar os livros a partir de uma base de dados que também iremos criar. Um grande abraço e até a próxima!

Últimos 5 artigos de Carlos Soglia

Sobre Carlos Soglia

De Maracás-BA, tecnólogo em Desenvolvimento de Sistemas para Internet pela Faculdade IBTA / Metrocamp. Ministrou aulas de Web Design e o Módulo Dot Net(Pacote Office) na Microcamp por 3 anos. Atualmente trabalha como desenvolvedor Web, utilizando principalmente PHP para desenvolvimento dos Projetos e também administra toda a parte de Marketing Digital e Comunicação Visual há mais de 2,5 anos numa empresa de tecnologia. Possui conhecimentos em JAVA, principalmente para WEB (J2EE), Hardware, Banco de dados MySQL e SQL Server, VB 6.0, XML, DOM, HTML 4 e 5, CSS 2.0 e 3.0, JavaScript, JQuery, Ajax, ASP 2.0, Action Script 3.0 e está atualmente estudando a tecnologia Android. Na área de Design e criação gráfica utiliza Photoshop CS6, Dreamweaver para desenvolvimento e estruturação de páginas web, CorelDraw X6, Ilustrator e Fireworks CS6.

Deixe uma resposta