Metodologias de Desenvolvimento Ágil – Parte 2: Técnicas


Metodologias AgeisEsta é a segunda parte da série de artigos sobre Metodologias de Desenvolvimento Ágil. Estes artigos são baseados no Trabalho de Conclusão de Curso apresentado como exigência para a obtenção do grau de Bacharel em Ciência da Computação da Faculdade Anhanguera de Campinas – Unidade 3, denominado “Metodologias de Desenvolvimento Ágil Aplicadas No Desenvolvimento De Softwares Em Empresas De Pequeno Porte“, escrito por Felipe Morandin, Fernando Fonte e Tiago Souza.

Espero que você aproveite a leitura.

2 – TÉCNICAS DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL

2.1 – Apresentação

O desenvolvimento de software utilizando metodologias de desenvolvimento ágil criou novos pontos de vista para o desenvolvimento de software. Alguns desses pontos vieram para quebrar paradigmas gerados por metodologias em cascata[1].

O marco inicial para a quebra desses paradigmas surgiu oficialmente no dia 13 de fevereiro de 2001, no qual 17 pessoas em busca de um mesmo ideal uniram-se e assinaram o que batizaram de Manifesto Ágil, cujo objetivo principal é criar uma forma de desenvolvimento mais eficaz.

Esse manifesto possui uma característica marcante para o desenvolvimento de software. Ele muda a visão de que um desenvolvimento com qualidade precise de processos e ferramentas bem definidos, documentação extremamente abrangente e cercada de negociações para o fechamento de contrato, além de um plano totalmente fechado. Todas essas características são substituídas por um software funcional criado por indivíduos envolvidos diretamente com o projeto e interagindo diretamente com o cliente, ou seja, criando uma relação com o cliente e assim sendo possível prever mudanças necessárias durante o desenvolvimento.

Embora as características de maior valor no desenvolvimento de software sejam as apresentadas como os pontos a serem substituídos, a metodologia ágil prioriza as novas características apresentadas, por afirmar que elas possuem maior importância para o desenvolvimento de software. Para o desenvolvedor, a agilidade gira em torno da expansão com o parecer do cliente e da equipe de desenvolvimento.

 


[1]              Metodologias em cascata são as que aplicam o modelo Waterfall que consiste, basicamente, em ter cada etapa bem definida e uma etapa só começa quando a anterior foi finalizada

Índice:

Últimos 5 artigos de Fernando Fonte

Sobre Fernando Fonte

De Campinas-SP, bacharel em Ciência da Computação. Atua como Analista Programador em uma empresa de tecnologia. Tem experiência no desenvolvendo de softwares para comunicação e controle de hadware via porta serial e sistemas ERP. Possui conhecimento em sistemas operacionais Windows, programação Delphi e Visual Basic 6 e Banco de Dados SQL Server e MySQL. Atualmente estuda C# e Android. Tem interesse em Jogos, Celulares, Smartphones, Notebooks e tudo que for relacionado a tecnologia. Fundador deste site e editor chefe, convidou amigos para lhe ajudar com este projeto.

Deixe uma resposta