Faço Milagres! Pergunte-me como 2


Esses dias no Twitter, li a seguinte frase:

Deus tem um pacto com os desenvolvedores: Deus não faz software e desenvolvedor não faz milagre”.

Isto é fato! Restam aos vendedores, gerentes comerciais e correlatos das empresas de desenvolvimento saberem disso.

A verdade é que para sobreviver em meio à forte concorrência, os prazos passados por estas empresas para entregas de novos projetos estão cada vez mais curtos, levando os desenvolvedores a fazerem verdadeiros milagres para entregar todas as funcionalidades pedidas, livres de erros e 100% funcional na data combinada.

Deste modo, as boas práticas de programação e até mesmo a possibilidade de reutilização do código em novos projetos ficam completamente comprometidas. O desenvolvedor faz o código, se funcionou, deixa lá como está porque é pra amanhã. Que atire o primeiro mouse quem nunca fez isso. Se não der certo, coitado do coordenador da equipe que terá que se justificar para a diretoria porque o projeto sofrerá atraso.

O que você acha sobre isso? Já teve que fazer algum milagre para entregar um projeto dentro do prazo? Deixe a sua opinião como um comentário logo abaixo.

Últimos 5 artigos de Fernando Fonte

Sobre Fernando Fonte

De Campinas-SP, bacharel em Ciência da Computação. Atua como Analista Programador em uma empresa de tecnologia. Tem experiência no desenvolvendo de softwares para comunicação e controle de hadware via porta serial e sistemas ERP. Possui conhecimento em sistemas operacionais Windows, programação Delphi e Visual Basic 6 e Banco de Dados SQL Server e MySQL. Atualmente estuda C# e Android. Tem interesse em Jogos, Celulares, Smartphones, Notebooks e tudo que for relacionado a tecnologia. Fundador deste site e editor chefe, convidou amigos para lhe ajudar com este projeto.

Deixe uma resposta

2 pensamentos em “Faço Milagres! Pergunte-me como

  • Gabriel - Dimens&ati

    Engraçado como a engenharia de software é tratada com tanta diferença no mercado. Um exemplo é quando o cara contrata serviços de eng. civil, que apesar da rápida velocidade nas construções atuais, ainda há um tempo considerável para projetos, revisões, aprovações e outros além do tempo normal da construção.
    Vejo a engenharia de software da mesma forma. O que construímos em frente ao computador não é simplesmente um "arrastar e soltar" no PaintBrush, mas sim um sistema computacional com linguagem complexa. Um ingênuo "Basta um botãozinho aqui…" pode não parecer tanta coisa visualmente, mas pode significar um pesadelo para os desenvolvedores.
    A qualidade do produto, assim como a obra de construção civil, é proporcional ao tempo disponível para as etapas do projeto.

    A devida valorização dos sistemas computacionais é muito bem vinda, obrigado!

    Abs;