Quando aceitar uma contraproposta e ficar no emprego 2


employer1 A revista Você S/A lançou uma matéria interessante (acesse o conteúdo na integra no final do post), é uma pesquisa com funcionários e empresas sobre contrapropostas. Em geral, as boas companhias procuram minimizar os riscos de perder o funcionário praticando remuneração e benefícios competitivos com o mercado, além de tentar esclarecer quais são as oportunidades de crescimento que cada profissional pode ter.

Segundo a pesquisa:

pesquisa

Leia a matéria na integra clique aqui.

Últimos 5 artigos de Eduardo Costa

Sobre Eduardo Costa

De Campinas-SP, bacharel em Sistema de Informação pela Anhanguera Educacional e pós graduado no curso de MBA em Gestão de Projetos e Metodologia do Ensino Superior. Atualmente trabalha como arquiteto e desenvolvedor Java em empresa de desenvolvimento de software de suporte a tomada de decisão, além de ministrar aulas de Orientação a Objeto, Linguagem Java e XML. Já atuou como líder técnico, coordenador de produto e analista de negócios.

Deixe uma resposta

2 pensamentos em “Quando aceitar uma contraproposta e ficar no emprego

  • Fernando Fonte - Dim

    Na minha opinião, o funcionário deve deixar claro que está insatisfeito com o salário, cargo ou o que quer que seja o motivo da sua busca de um novo emprego. Deve dar um prazo para a empresa conseguir estas melhorias e avisar que estará buscando novas oportunidades em breve. Se no momento de pedir demissão, a empresa oferecer uma contraproposta, o profissional não deve aceitá-la, já que antes não foi devidamente valorizado.

  • Marco Antonio

    marco antonio – 1°- receber proposta na sua saida, só mostra o quanto vc deixou de ganhar, e ainda dentro desse espirito, se vc aceitar…pela pressão de não perder oportunidade de ganhar dinheiro…pode pagar um preço caro — pois a cobrança sera maior, e o que impede de seus colegas de trabalho usarem sua situação para quererem também, o que causaria uma serie de transtornos a serem administrados, a começar de ordem relacional?eu acredito que enquanto os sistemas que gerem o mundo, a sociedade enfim…motivarem as pessoas a dar tudo de si, para ter mais coisas que outros…o mundo caminhará mal, é irreversivel! um dia , por imposição da situação, todas essas coisas não mais existirão, e as pessoas viverão umas para as outras! até lá…vai ser esse inferno de incertezas, aflições, inseguranças, injustiças, e inadequações insolúveis! eu em primeiro lugar, valorizo o ambiente de trabalho e de preferencia com foco em objetivos – fator certamente aglutinador, e a relação entre as pessoas! nossa bateria existencial, vive disso segundo a analise transacional! viver pelo dinheiro de forma cigana(no sentido de ficar mudando de local de trabalho ou moradia)involuntária, e ou mercenária, é morrer aos poucos, e derepente se for o caso, arrastar os seus junto!