Testamos: Pokémon GO é bom, mas poderia ser melhor


Pokemon GO Logo

Alguns dias após o lançamento de Pokémon GO no Brasil podemos afirmar: O jogo é bom, mas poderia ser melhor. Sentimos falta de alguns recursos comuns em jogos atuais.

 

O Que Falta?

  • Integração com aplicativos fitness como o Google Fit: Já que um dos objetivos do jogo é fazer o jogador se mover, deveria integrar com aplicativos de saúda que monitoram caminhada, passos, calorias gastas, distância percorrida entre outras informações. Seria um incentivo a mais pra cuidar da saúde.
  • Sistema de Troféus e Conquistas: Hoje em dia é estranho um novo jogo ser lançado sem um sistema de troféus e conquistas. Falta integração com o Google Play Games para controlar a pontuação e metas alcançadas.
  • Adicionar Amigos: Jogar com os amigos, saber quantos e quais Pokémon eles já pegaram, ver a localização no mapa, desafiar um amigo para batalha, entre outros vários recursos que poderiam ser explorados no jogo.

 

Entenda Pokémon GO

Game Boy Color PokemonPokémon GO é um jogo de realidade aumentada disponível para smartphones Android e iOS. O jogo é baseado no desenho animado Pokémon, que surgiu na TV da década de 1990. Além do desenho, existem várias versões de jogos para os consoles da Nintendo, desde o portátil Game Boy quanto ao tradicional Nintendo 64.

O nome do jogo vem das palavras em inglês “pocket monsters” (monstros de bolso) e consiste em um mundo fictício onde esses monstrinhos vivem soltos e as pessoas os capturam, tornando-se treinadores de Pokémons.

A grande diferença entre Pokémon GO e as versões anteriores é a participação ativa do jogador, que antes poderia jogar sem sair do lugar, com o personagem virtual caçando os monstrinhos pela tela, e agora, é necessário andar de verdade pela cidade, para que o personagem virtual faça o mesmo no jogo.

 

Pokemon GO Telas

 

Polêmica Entorno do Jogo

Como para jogar Pokémon GO é necessário sair de casa, muitas polêmicas estão sendo levantadas em torno do jogo. Mas se engana que este é o primeiro jogo a conseguir isso. Muitos não conhecem o Ingress, mas já falamos dele aqui em 2012. O Ingress, também desenvolvido pela Niantic, foi o primeiro a levar as pessoas para as ruas, fazendo com que alguns fatos curiosos e parecidos como os que tem acontecido agora também surgissem naquela época. Roubos de celulares, acidentes, atropelamentos, entre outros, eram facilmente relatados nos veículos de notícias pela internet.

Agora com Pokémon GO, o mesmo se repete, porém com quantidades maiores, já que a popularidade do jogo nem se compara com o seu antecessor. Só não podemos esquecer que por trás do jogo existem pessoas, e que por si só muitas vezes já cometem atos absurdos, como casos onde motoristas seguiram cegamente o GPS do carro e caíram de viadutos, entraram em favelas perigosas, sofreram acidentes, etc. Também pessoas ouvido música ou tirando fotos e por distração tiveram os aparelhos roubados. Com isso, não podemos jogar a culpa 100% no jogo. O fator humano é primordial nesse cenário.

Como tudo em nossa volta, basta ter bom senso na hora de utilizar.

 

Últimos 5 artigos de Fernando Fonte

Sobre Fernando Fonte

De Campinas-SP, bacharel em Ciência da Computação. Atua como Analista Programador em uma empresa de tecnologia. Tem experiência no desenvolvendo de softwares para comunicação e controle de hadware via porta serial e sistemas ERP. Possui conhecimento em sistemas operacionais Windows, programação Delphi e Visual Basic 6 e Banco de Dados SQL Server e MySQL. Atualmente estuda C# e Android. Tem interesse em Jogos, Celulares, Smartphones, Notebooks e tudo que for relacionado a tecnologia. Fundador deste site e editor chefe, convidou amigos para lhe ajudar com este projeto.

Deixe uma resposta