O que é CSCW?

Artigo retirado da monografia de conclusão de curso de graduação deste autor.

maos_colaborativas INTRODUÇÃO

O ser humano sempre procurou se interagir com as demais pessoas em grupo.

A palavra grupo nos leva a entender um conjunto de indivíduos com objetivos comuns. Segundo Robbins, grupo de trabalho é a reunião de pessoas que interage basicamente para compartilhar informações e tomar decisões, a fim de ajudar cada membro com seu desempenho em sua área de responsabilidade.

Segundo o dicionário Aurélio, as palavras colaboração e cooperação são sinônimas – trabalhar em comum com uma ou mais pessoas. Nesse sentido, os grupos não interagem apenas face-a-face. Atualmente, a computação tem contribuído de forma bastante significativa para trabalhos colaborativos em grupo, independente da distância geográfica. Com isso, surgem as chamadas equipes virtuais, que segundo Robbins, são equipes que usam a tecnologia da informática para juntar fisicamente seus membros dispersos, para que possam atingir seus objetivos comuns. Nessas equipes, as pessoas interagem “on line”, colaborando entre si, utilizando meios de comunicações tais como: redes de computadores, videoconferência, correio eletrônico, “blogs”, sistemas de mensagens instantâneas, etc.

Neste contexto de colaboração em grupos e interesses em comum, surge uma nova área de estudos chamada CSCW, que vem da abreviatura em inglês “Computer Supported Cooperative Work”, sendo sua tradução em português – Trabalho Cooperativo Auxiliado por Computador. (Moeckel, 2003).

CSCW

CSCW é uma ciência multidisciplinar que estuda as formas de trabalho em grupo auxiliadas por tecnologia e comunicação.

As aplicações desenvolvidas para dar suporte ao CSCW são conhecidas como groupware. As ferramentas para escrita colaborativa, correio eletrônico, ICQ, videoconferências, mensagens instantâneas, sistemas workflow, são aplicações groupware.

CSCW é um campo multi–disciplinar em rápido crescimento (Beaudouin-Lafon, 1999) que estuda como o trabalho em grupo pode ser suportado por tecnologias de informação e comunicação com o objetivo de desenvolver suportes eficazes para o trabalho em grupo em organizações. (Moeckel, 2003).

Para entender como as pessoas trabalham juntas, CSCW se utiliza de outras áreas (Grudin, 1994), tais como Ciências Sociais, Psicologia, Antropologia, etc. Também ocupa-se de áreas técnicas e científicas, tais como multimídia, design, redes de computadores, sistemas distribuídos e telecomunicações.

HISTÓRIA

O nascimento do CSCW não é recente. Nos anos 60, já era anunciada alguma literatura sobre o surgimento dos circuitos integrados e os sistemas computacionais de terceira geração (Grudin, 1994). Também nessa mesma década, Doug Engelbart criou o sistema NLS/Augment, que já continha edição compartilhada em tempo-real, anotações de documentos compartilhados e vídeo-conferência. (Beaudouin-Lafon, 1999).

No início da década de 70, emergiram os campos de Engenharia de Software e Automação de Escritório. O objetivo dessas áreas era dar suporte computacional a grandes grupos envolvidos em projetos. Nesta época, com o crescimento dos programas de Automação de Escritório, foram os processadores de textos e as planilhas eletrônicas que passaram a auxiliar grupos e departamentos nas organizações para execução de suas tarefas diárias. (Grudin, 1994).

Mas em 1984, num workshop realizado nos Estados Unidos organizado por Iren Greif do MIT e Paul Cashman, surgiu o termo “Computer Supported Cooperative Work”. Todas as pessoas presentes neste evento tinham um interesse em comum em como utilizar a tecnologia para auxiliar no ambiente de trabalho.

De lá para cá, com a explosão da internet, pesquisadores de diversos campos e desenvolvedores de aplicações estão estudando e trabalhando para construir sistemas colaborativos.

GROUPWARE

Muito se confunde entre o significado de CSCW e groupware. Groupware são ferramentas CSCW (Beaudouin-Lafon, 1999) que suportam o trabalho em grupo. Segundo Robbins e Finley (citados por Moeckel), groupware é um software distribuído e interativo utilizado em redes de computadores voltado para o trabalho em grupo.

Exemplos de ferramentas groupware são: correio eletrônico(e-mail), sistemas de mensagens instantâneas(instant message), os grupos de discussão, os blogs, as ferramentas de escrita colaborativa, salas de aulas virtuais, workflow etc.

Para Beaudouin-Lafon, o grande problema de implementação do groupware é as pessoas. Por esse motivo, a usabilidade é uma peça fundamental para que o software possa interagir e melhorar o trabalho dos usuários.

APLICAÇÕES CSCW

Abaixo, seguem algumas aplicações CSCW que apóiam o trabalho cooperativo.

a) Sistemas de Apoio a Decisão (SADs)

Os SADs são voltados para a gerência da organização. Os SADs ajudam os executivos a tomar decisões com agilidade e rapidez.

Eles são construídos para resolver problemas e analisar dados de forma analítica (Laudon & Laudon).

São sistemas interativos, onde os usuários podem trabalhar com eles diretamente e dá, também, suporte para o trabalho em grupo (Moeckel, 2003).

b) Sistemas de Apoio a Reuniões

São softwares que possuem ferramentas de planejamento de reuniões e agenda. Auxiliam no trabalho cooperativo em rede reunindo grupos de lugares distantes, sem a necessidade do contato face-a-face. Permite também que recursos de vídeo e áudio (por exemplo, videoconferência e voip) possam ser utilizados em reuniões virtuais.

c) Editores Colaborativos

Pode existir a necessidade de vários usuários compor textos e editar gráficos conjuntamente, seja para um trabalho acadêmico, seja para elaboração de um documento empresarial.

Esses editores podem conter sistemas de mensagens instantâneas e controle de versão de documentos.

Há editores síncronos onde vários usuários estão editando o mesmo documento ao mesmo tempo. Há também editores assíncronos onde os usuários estão realizando edições em tempos diferentes. (Moeckel, 2003).

d) Sistemas de Automação de Escritório

São sistemas projetados para melhorar a comunicação e aumentar a produtividade dos seus usuários em um escritório. (Laudon & Laudon).

Eles manipulam e gerenciam documentos, tais como: processadores de textos, planilhas eletrônicas e digitalização eletrônicas. Possuem agendas eletrônicas, correio eletrônico, correio de voz e videoconferência.

e) Sistemas de Comunicação Síncrona

São sistemas que obrigatoriamente têm usuários se comunicando no mesmo instante de tempo, independente da localização geográfica, a qual eles se encontram. Exemplos de ferramentas síncronas são:

  • Chat

Mais conhecido como “sistemas de bate-papo”, permitem a conversação “on-line” de várias pessoas, ou seja, em tempo real. Nestes sistemas, os usuários trocam conversas, opiniões e sentimentos.

  • ICQ

Assim como os chats, o ICQ (I seek you) também permite a conversação em tempo real com outros usuários através de uma lista de colegas. Nessas aplicações pode-se enviar mensagens, recados em texto e voz, e realizar buscas para adicionar novos colegas. (Moeckel, 2003).

  • Sistemas de Instant Message

Conhecidos como sistemas de mensagens instantâneas, permitem o envio de mensagens para outros membros de um grupo em tempo real.

  • Sistemas de Videoconferência

São sistemas de comunicação síncrona de imagem e voz. São bastante utilizados para realizar reuniões entre equipes distantes geograficamente, teleaulas e treinamentos via web. Esses sistemas trazem a vantagem de reduzir custos de estadia, transporte e tempo. O exemplo mais conhecido dessas ferramentas é o NetMeeting.

f) Sistemas de Comunicação Assíncrona

São sistemas que não necessitam da presença dos usuários em tempo real, ou seja, ao mesmo tempo. Exemplos de ferramentas assíncronas são:

  • Correio Eletrônico

Ou mais conhecido como e-mail, permite a comunicação entre pessoas de diversos lugares.

Pode-se enviar e-mails para um determinado destinatário com arquivos de diversas extensões anexadas, imagens, gráficos e voz. Pode-se sinalizar um e-mail enviado com urgência e com solicitação de leitura do destinatário.

O correio eletrônico é uma das ferramentas de groupware mais utilizadas mundialmente. (Moeckel, 2003).

  • Listas de Discussão

Grupos de pessoas de interesse comum se comunicam através de mensagens, de forma assíncrona, enviando dúvidas ou respondendo-as.

Normalmente, nestes grupos há um moderador que filtra as mensagens enviadas pelos participantes.

  • Blogs

Também conhecidos como weblogs, são sistemas de publicação de conteúdo web com constante atualização. (Recuero e Primo, 2003).

Muitos blogs expressam o sentimento individual do autor (Moeckel, 2003) não podendo, muitas vezes, o usuário interagir com o conteúdo do blog. Porém, existem blogs onde o usuário pode enviar posts concordando ou não com o autor. (Recuero e Primo, 2003).

CLASSIFICAÇÃO DE APLICAÇÕES CSCW

Na Tabela 1 abaixo, segue a classificação de aplicações CSCW (relação tempo x distância):

CSCW_Tabela1

No próximo artigo, trataremos sobre a terminologia CSCL. Até lá!!!

BIBLIOGRAFIA

Baecker, Ronald ; Posner, Ilona ; Mitchell, Alex. Learning to write together using Groupware. University of Toronto, Toronto, Apr. 1996.

Beaudouin-Lafon, Michel. Computer Supported Co-operative Work. Paris: Université de Paris, 1999.

Grudin, Jonathan. Computer-Supported Cooperative Work: History and Focus, University of California, Irvine, Mai. 1994.

Laudon, Kenneth C.; Laudon, Jane P. Sistemas de informação gerenciais: administrando a empresa digital. São Paulo: Prentice Hall, 2004.

Moeckel, Alexandre. CSCW: conceitos e aplicações para cooperação. CEFET-PR, Curitiba, Jun. 2003.

Oliveira, Carla. Sistemas Colaborativos: Conceito, Características e Funcionalidades. www.imasters.com.br, JAN 2007.

Últimos 5 artigos de Marcelo Castilho
Tags:

Sobre Marcelo Castilho

De Campinas-SP, MBA em Gestão de Projetos. Colaborou com o Dimensão Tech de Junho de 2008 a Março de 2009.